A cicatrização pode ser dificultada por fatores que influenciam o processo de reparo tecidual de forma extrínseca e intrínseca.

Definição de Cicatrização

O estudo da cicatrização da pele envolve uma enorme gama de eventos e de situações especiais. Exige conhecimentos básicos de anatomia, histologia, bioquímica, imunologia, farmacologia, entre outras ciências. A cicatrização de feridas consiste em uma perfeita e coordenada cascata de eventos celulares e moleculares que interagem para que ocorra a repavimentação e a reconstituição do tecido.

Tal evento é um processo dinâmico que envolve fenômenos bioquímicos e fisiológicos que se comportem de forma harmoniosa a fim de garantir a restauração tissular. Como desencadeante da cicatrização, ocorre a perda tecidual, a partir da qual o fisiologismo volta-se completamente para o reparo de um evento danoso ao organismo. A perda tecidual pode atingir a derme completa ou incompletamente, ou mesmo atingir todo o órgão, chegando ao tecido celular subcutâneo. É daí que vem a definição do tipo de ferida, com espessura parcial ou total.  A ferida de espessura parcial (derme incompleta) ocorre após muitos procedimentos dermatológicos como a dermoabrasão, o resurfacing por laser ou peelings químicos; pode também ser causada por traumatismos. A reparação faz-se pela reepitelização dos anexos epiteliais ou epitélio derivado da pele adjacente não acometida. Como resultado final tem-se uma cicatriz praticamente imperceptível. Já as feridas de espessura total (derme completa ou estendida ao tecido celular subcutâneo) necessitam da formação de um novo tecido, o tecido de granulação; a epitelização, base da cicatrização nas feridas de espessura parcial, acontece apenas nas margens da ferida. Nesse caso, a cicatriz é totalmente perceptível e, muitas vezes, pronunciada.

Cicatrização2

Fatores que interferem na Cicatrização

Existem vários fatores que influenciam no reparo total do tecido. Fatores locais, ou seja, ligados à ferida podem interferir no processo cicatricial, como: a dimensão e profundidade da lesão, grau de contaminação, presença de secreções, hematoma e corpo estranho e necrose tecidual e infecção local.  Além desses, existem os fatores sistêmicos, ou seja, aqueles que são relacionados ao paciente como idade, estado nutricional, doenças crônicas e terapias medicamentosas associadas.

Cicatrização3

Tratamentos tópicos inadequados também agravam o processo de cicatrização. A utilização de sabão tensoativo na lesão cutânea aberta pode ter ação citolítica, afetando a permeabilidade da membrana. As soluções anti-sépticas também podem ter ação citolítica. Quanto maior a concentração do produto maior será a sua citotoxidade, afetando o processo cicatricial. Essa solução em contato com secreções da ferida tem a sua ação comprometida.

Tratamento das Cicatrizes

As tentativas humanas de intervir no processo de cicatrização das feridas, acidentais ou provocadas intencionalmente como parte da realização de procedimentos, remontam à Antigüidade, demonstrando que desde então já se reconhecia a importância de protegê-las de forma a evitar que se complicassem e repercutissem em danos locais ou gerais para o paciente.

Uma pergunta frequente entre os profissionais é: qual o melhor curativo para tal tipo de ferida? Essa resposta não existe de forma absoluta, pois, feridas diferentes, em diferentes tipos de pacientes, requerem diferentes formas de tratamento. Existem hoje no mercado aproximadamente 2.500 itens que se destinam ao tratamento de feridas agudas e crônicas, desde a mais simples cobertura, soluções para higienização e anti-sepsia até os mais complexos tipos de curativos, chamados “curativos inteligentes” ou “bioativos”, que interferem de forma ativa nas diversas fases do processo cicatricial, dos vários tipos de feridas. Se por um lado tal diversidade de opções é um fator altamente positivo, por outro, pode tornar extremamente desafiadora a decisão de escolha.

Veja alguns tipos de tratamentos:

Malha Elástica Compressiva: O intuito é a compressão da cicatriz evitando o crescimento desordenado do colágeno jovem. É indicada tanto no tratamento como na prevenção de cicatriz queloiodiana.  A malha elástica poderá ser composta de uma camada interna de silicone, que potencializará o efeito da compressão.

Placa de Silicone: Trata-se de placa de silicone gel que é colocada diretamente sobre a cicatriz íntegra, oferecendo resistência ao seu crescimento. É indicada no tratamento de cicatriz hipertrófica ou queloidiana. O curativo é auto-adesivo e confortável à aplicação.

Corticóide Intralesional: Em alguns casos de cicatriz queloidiana isolada pode ser indicada a aplicação de cortisona de depósito intralesional.Ela poderá ser preparada a 50% com anestésico local – xilocaína. A vantagem é que ela tem baixo custo econômico, mas com dor durante a aplicação e eventual necessidade de várias aplicações.

Pomada ou Gel Antiproliferante: Tem efeito antiproliferante no tecido cicatricial. Extrato de allium cepa 100,00 mg, Alantoína 10,00 mg, Heparina sódica (5000 UI) indicadas para cicatriz hipertrófica e cicatriz queloidiana.

Tratamento Cicatrizante com MicroSilver BG™ alternativa ao uso da prata metálica

 

 MicroSilver BG™ ____________0,3%
Pomada base qsp____________ 50 g

 

Aplicar nas feridas, 2 vezes ao dia, ou conforme orientação médica. Recomenda-se a aplicação após o banho ou limpeza do local.

O MicroSilver BG™ apresenta um estrutura porosa e de maior aderência na pele, o que possibilita uma ação mais prolongada. Além disso, MicroSilver BG™ libera quantidades mais elevadas de íons prata do que a prata na forma elementar, promovendo aumento da eficácia cicatrizante.

Creme Cicatrizante com Fatores de Crescimento

NANOFACTOR® aFGF ____________ 1,0%
NANOFACTOR® TGFβ ____________ 1,0%
IDP-2 Peptídeo ___________________ 1,0%
Creme qsp _______________________ 30 g

Aplicar nas feridas seguido de curativo compressor ou conforme orientação médica.

Um estudo conduzido pela UNESC, Santa Catarina, avaliou os efeitos de combinação de fatores de crescimento no tratamento de úlceras varicosas (arteriais e venosas). NANOFACTOR® aFGF 1,0% + NANOFACTOR® TGFβ 1,0% + IDP-2 Peptídeo a 1,0% em creme, seguido de um curativo compressor, durante 2 a 4 meses em pacientes portadores de úlcera varicosa. Os resultados mostraram boa cicatrização após dois a quatro meses de aplicação.

Indicações Terapêuticas Baseadas em Evidências Suplementação Nutricional Suporte no Processo de Cicatrização

A cicatrização de feridas envolve uma grande atividade celular, a qual intensifica a demanda de nutrientes. A deficiência nutricional pode aumentar o período de cicatrização. Um estudo realizado nos Estados Unidos fez um levantamento bibliográfico das vitaminas e dos minerais que são essenciais para que ocorra o processo de cicatrização de maneira efetiva.

 

Vitamina A _____________________25.000 UI

Vitamina C ________________________ 1-2 g

Zinco _________________________ 15-30 mg

Glucosamina ____________________1.500 mg

Dose diária.

 

+

 

Arginina __________________________3-15 g

Glutamina ________________________3-15 g

Pó para suspensão de preparação extemporânea (com whey protein) _______ 18 g

Dose diária.

 

Administrar 2 semanas antes da cirurgia e permanecer com a suplementação até cura completa da ferida.

Suplementação Nutricional Pré-Cirúrgica e Pró-Cicatrização de Ferimentos

A suplementação de 25.000 UI de vitamina A, 1-2 g de vitamina C, 15-30 mg de zinco, 3-15 g de arginina, 3-15 de glutamina e 1.500 mg por dia glucosamina antes e após a cirurgia melhoraram a cicatrização em pacientes adultos. Pacientes com feridas crônicas também poderiam se beneficiar desses nutrientes.

 

Bromelina___________________500 a 1.000 mg

Dose diária.

Administrar após a cirurgia e permanecer com a suplementação até cura completa da ferida.

Suplementação Nutricional Pós-Cirúrgica

 

A bromelina, quando utilizada no pós-cirúrgico nas doses de 500 a 1.000 mg ao dia, auxilia na redução do edema, da injúria, da dor e do tempo de cicatrização.

 

Indicações Terapêuticas Baseadas em Evidências  Suporte Cosmético Pré-Operatório Auxiliar no Processo de Cicatrização

 Em um estudo conduzido pelo Dr. Ivo Pitanguy, quarenta e quatro pacientes foram submetidas a um protocolo de tratamento pré-operatório na qual elas aplicaram:

Gel-creme baseado em silício orgânico com hidroxiprolina, retinol, tocoferol e hialuronato de sódio, a cada 12 horas, durante 1 a 2 meses antes da cirurgia.

 

A aplicação desse gel-creme pré-operatório em pacientes submetidas a cirurgias plásticas melhorou os resultados dos procedimentos cirúrgicos pelas alterações histológicas positivas e pelo preparo para o estresse cirúrgico, obtendo assim, um resultado estético satisfatório.

 

Hydroxyprolisilane® CN _______________ 5%

Microesferas de Retinol _______________ 1%

Vitamina E __________________________ 1%

Ácido hialurônico______________________ 1%

Gel-Creme_____________________qsp 100 g

Aplicar na região na qual será realizada a cirurgia, duas vezes ao dia, 1 a 2 meses antes da cirurgia.

Formulação Pré-Operatória Adaptada de Estudo Conduzido pelo Dr. Ivo Pitanguy

 

Em caso de dúvidas procure um médico ou um farmacêutico.

 

Fonte: http://www.scielo.br/pdf/abd/v78n4/16896.pdf

http://www.portaleducacao.com.br/fisioterapia/artigos/32831/fatores-que-interferem-na-cicatrizacao

http://www.feridologo.com.br/fisiologiainterf.htm

MacKay D, Miller AL. Nutritional support for wound healing. Altern Med Rev. 2003 Nov;8(4):359-77.

MacKay D, Miller AL. Nutritional support for wound healing. Altern Med Rev. 2003 Nov;8(4):359-77.
Torres E, Pitanguy I, Penteado IHP & Penteado RB. Clinical and histological evaluation of a pré-operative cosmetic treatment. Rev bras cir, 1993; 83(4):171-190.