Apesar de soar como algo algo preocupante, ser diagnosticado(a) com pré-diabetes é uma oportunidade para buscar acompanhamento e tratamento adequado, o mais importante é seguir as orientações de seu médico e ter tranquilidade.

De acordo com dados disponíveis no Atlas do Diabetes da Federação Internacional de Diabetes (IDF), o Brasil é o 5º país em termos de incidência de diabetes no mundo, com 16,8 milhões de doentes adultos (20 a 79 anos). A estimativa da incidência da doença em 2030 chega a 21,5 milhões.

Nesse contexto, abordaremos os seguintes temas:

  • O que é o pré-diabetes?
  • Quais são os sintomas da pré-diabetes? 
  • Fatores de risco e sinais de alerta do pré-diabetes
  • Como tratar e prevenir o pré-diabetes? 
  • Como a Farmácia de Manipulação pode te ajudar?


O que é o pré-diabetes?

Segundo Ministério da Saúde, o pré-diabetes é caracterizado quando os níveis de glicose no sangue estão mais altos do que o normal, mas ainda não estão elevados o suficiente para caracterizar Diabetes Tipo 1 ou Tipo 2. 

Ao mesmo tempo, o quadro é um importante alerta do seu corpo por ser a única etapa do diabetes que ainda pode ser revertida, prevenindo a evolução da doença e o aparecimento de complicações como problemas cardíacos, por exemplo.

Assim, comer alimentos saudáveis, tornar a atividade física parte de sua rotina e manter um peso saudável são passos fundamentais para normalizar o nível de açúcar no sangue e prevenir o pré-diabetes.


Quais são os sintomas da pré-diabetes? 

A princípio, o pré-diabetes não apresenta quaisquer sinais ou sintomas. 

No entanto, alguns sinais e sintomas podem simbolizar um alerta de evolução do quadro. São eles:

  •  Mais sede do que o normal
  •  Aumento da fome
  •  Cansaço
  •  Visão embaçada
  •  Micção frequente

O último sintoma é considerado um sinal clássico de alerta para a diabetes. Isso porque, o excesso de açúcar no sangue faz com que o corpo produza mais urina para eliminar a glicose. 

Desse modo, o quadro aumenta a probabilidade de desidratação, aumentando a fome e sede.


Fatores de risco e sinais de alerta do pré-diabetes

O risco de desenvolver pré-diabetes é maior nos seguintes casos:

  • Idade – embora o diabetes possa se desenvolver em qualquer idade, o risco de pré-diabetes aumenta após os 45 anos. ;
  • Parentes com diabetes – o risco de desenvolver o quadro aumenta se você tiver parentes próximos com diabetes tipo 2;
  • estar acima do peso e com acúmulo de gordura no abdômen – a maior quantidade de tecido adiposo, principalmente na região do abdômen, pode tornar as células mais resistentes à insulina;
  • hábitos sedentários – a atividade física ajuda no controle do peso e consome açúcar para gerar energia. Dessa forma, quanto menos ativo, maior o risco de pré-diabetes;
  • Síndrome do Ovário Policístico (SOP) – mulheres com essa condição comum têm maior risco de pré-diabetes;
  • fumar tabaco – o hábito de fumar pode aumentar a resistência à insulina; (veja aqui dicas para quem quer parar de fumar) 
  • pressão alta, mesmo controlada com medicamentos;
  • níveis baixos de colesterol HDL e/ou triglicérides elevados;
  • diabetes durante a gravidez.

Como tratar e prevenir o pré-diabetes?

De maneira geral, o tratamento do pré-diabetes também pode ser visto como a prevenção do diabetes tipo 2.

Em outras palavras, o médico vai sugerir uma mudança no seu estilo de vida, com foco especial em uma alimentação saudável e prática de atividades físicas. 

Entretanto, dependendo de quão alto está o açúcar no sangue, o profissional de saúde pode prescrever um medicamento ou uma combinação para regular sua glicose em um nível saudável.

Alimentação

Ao contrário da opinião popular, uma dieta de pré-diabetes não significa eliminar todos os alimentos que você adora.

Porém, uma pessoa com pré-diabetes não deve comer carboidratos processados ​​com alto teor de açúcar, mas sim obter carboidratos de grãos inteiros, frutas, legumes e vegetais ricos em amido. 

Além disso, ingerir 25-30 gramas de fibra todos os dias, como aveia e linhaça, retardam a absorção de glicose e o mantém satisfeito por mais tempo.

Quer saber mais sobre dicas alimentares? Assista a gravação da live que realizamos com a nutricionista Dra. Elisangela Marques.

Estilo de vida

As atividades físicas oferecem diversos benefícios para o nosso corpo e são uma ótima maneira de reverter o pré-diabetes. 

Em primeiro lugar, uma rotina de exercícios pode ajudá-lo a perder os quilos que aumentam o risco de pré-diabetes sem fazer dieta restritiva. 

Além disso, quando você se exercita, seu corpo usa mais glicose, o que ajuda a eliminá-la da corrente sanguínea.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que adultos façam atividade física moderada a vigorosa de 150 a 300 minutos por semana, incluindo quem vive com doenças crônicas ou incapacidade, e uma média de 60 minutos por dia para crianças e adolescentes.

Medicações

Na maioria dos casos, as mudanças na alimentação e na rotina de exercícios costumam ser suficientes para controlar os níveis de glicose. 

Dessa forma, os médicos não precisam indicar medicamentos para a prevenção do diabetes. Porém, é importante sempre consultar seu médico. 

Contudo, a terapia medicamentosa no caso de pré-diabetes é útil em pacientes com alto risco e que não conseguem praticar as mudanças necessárias em seu estilo de vida.

No entanto, antes de tomar qualquer medicamento, procure o profissional especialista para realizar o diagnóstico completo e indicar o tratamento adequado. 

 

Como a Farmácia de Manipulação pode te ajudar?

Sempre sob a orientação de um profissional de saúde, a farmácia de manipulação pode auxiliar você no preparo de uma fórmula personalizada, levando em conta as necessidades individuais do seu organismo.

Quer saber o que mais a farmácia de manipulação pode fazer por você? Clique aqui  e consulte a nossa equipe via WhatsApp.

Farmácia de Manipulação Formularium